domingo, 14 de dezembro de 2008

MY OWN PRIVATE IDAHO

Realizador: Gus Van Sant
Ano:1991
País:EUA
Duração:102 min
Legendas:EN Subt. PT

Um clássico da cinematografia gay com actores consagrados. River Phoenix é um narco-dependente e prostituto de Seattle, Keanu Reeves é o amigo rico que concorda em ajudá-lo a encontrar a mãe. Nesta busca entre Idaho e Itália, os dois viajantes, começam a ter um argumento no qual Van Sant parece conjugar uma versão gay de Shakespeare, Henry IV, Parte I, sendo a personagem de Reeve o Príncipe Hal. Nomeado e vencedor de vários prémios de cinema. Um clássico.

7 comentários:

  1. Boas tardes,
    Por ironia do destino dou conta deste blog que deixou-me boquiaberto. Um blog de filmes de carácter sodomita vai contra os principios pelo qual uma sociedade de indole judaica ou crista se guia, ou seja, contra o bom senso que devia imperar no seio da sociedade onde os patrocionadores deste blog se inserem. Pergunto mesmo se nesta se sociedade se deviam inserir, senão mesmo ser colocados de quarentena numa ala de um hospital psiquiátrico.

    Felizmente, a lista que se anuncia como a maior do mundo,limita-se a quatro filmes. Espero que tenda a diminuir.

    Saudações Fraternas da Eduarda dos Santos, irmã evagelica da igreja para um mundo melhor.

    ResponderEliminar
  2. Boas tardes,
    Erra a senhora Eduarda na capela onde entrou. Deixe-se de Beatisses e apague o link dos favoritos do seu neto, porque das duas uma, ou veio por meio do neto ou do marido.

    ResponderEliminar
  3. Peço desculpa pela minha avó.
    Pedrinho

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  6. my own private idaho é um grande filme agora estas freiras retrogadas, deviam era se enxergar, nao ha ca sodomia nenhuma e somos todos seres humanos e o amor é que é importante independentemente do sexo, bem mas é sem duvida um grande filme e um dos melhores que ja assisti, river phoenix claro, nunca nos desaponta tal como Van Sant

    ResponderEliminar